Have an account?

terça-feira, 29 de junho de 2010

Vigéssimo Sexto Sol Do Divórcio - Ântonio laCarne


Desde o título curioso a imagens instigantes como: “carne imaculada na multiplicidade de tintas” o poema de Ântonio LaCarne - antoniolacarne.wordpress.com -  é o que eu chamaria de murmúrio poético, poesia para ser lida no escuro e sombrear nossas almas espantadas. Maravilhe-se: 


Vigéssimo Sexto Sol Do Divórcio

A vaidade condiz,
Nela propicio meu precipício em princípios,
a primeira mão como a última a aplaudir.

Desaprendi maneiras: educada longa busca,
A arte de expor o sexo alheio aos meus olhos,
E devorar receios nas noites em que os brilhos cegam,
Cospem, maltratam.

Quisera ter sido, procurar ou procurando,
Nesga de presença que se afasta,
e eu, encostado à parede, com o peito a descoberto.

Se me perguntam com qual cor pintar o corpo,
Hei de perceber os dedos intactos,
Carne imaculada na multiplicidade de tintas,
Orgulho contra paredes em branco,
Terreno erguido para que o ator seja homem,
E eu intérprete.

Enquanto estamos de frente,
Do alto de um prédio ou do chão trilha passageira,
Sussurro a favor do desejo,
Mas a resposta são as cabines do banheiro superlotadas.

Chorar no teu ombro sob influência das drogas,
Lembrar do que é quadrado: a cama,
A vigésima sexta lua do divórcio,
Afinal quem insiste educa uma perda,
Protege em silêncio o signo de capricórnio.

10 comentários:

Samuel disse...

Poema estranho.

Juh Lima disse...

eu gostei...nao se deve ter limites para expressar o que há dentro de nós! ousou, causou e fez efeito. Muito bom mesmo!

coconutsweet.blogspot.com/

Luiz Brisa disse...

eu gostei
achei meio diferente
rsr

Mônyka disse...

legal !

http://meninacharmosa-mch.blogspot.com/

Melhor Free disse...

Legal ²

Dear Letícia disse...

É legal ver um blog que abra espaço pra poesia dos demais, a idéia é legal e eu gostei bastante até porque sou fã de poesia.

Jeferson Guedes disse...

Nossa... Quanta inspiração que teve... Adorei...

Karla Hack disse...

Algo bem introspectivo que floresce de forma curiosa...
Instiga!
;D

antoniolacarne disse...

Que alegria saber que meu poema está postado aqui! Obrigadão! Adicionei vc, Thales, no msn!

Maarji. disse...

Conheço a poesia do Antonio desde o livro Elefante-Rei: Poemas B. Entender seus poemas é algo que vai além do significado das palavras, é entregar-se a sensações, impressões e imagens de figuras fantásticas das noites de esperança, dos dias bizarros e do amor que rasga.

Me identifico sempre!

Postar um comentário

Leia, comente participe e não deixe de ser nosso asinante:
http://papeisonline.blogspot.com/p/assine.html