Have an account?

quinta-feira, 15 de julho de 2010

O Cravo Nú

Por que tua flor rebelde
Insiste em desabrochar na minha frente?
Acariciarei-te. Oh, flor
Para te deleitares com meus mimos
Lamberei tuas pétalas
Apertarei os teus espinhos
Eu ousado zangão
Beberei teu doce-amargo néctar
E te caberei inteira dentro de mim
Até morreres sufocada
Com o calor do meu desejo
Para que assim os campos
Nos libertem e nos mostrem
A verdadeira face da vida
Pois tudo aquilo que a princípio
Não se identifica, com o tempo
Vai se deixando revelar aos poucos
Mesmo que involuntariamente.

Marcio Rufino
 Marcio Rufino é Carioca, Poeta tem livro publicado e também já Atuou como Ator

2 comentários:

Jeferson Guedes disse...

Poema com um ar bem sedutor... Cortejada flor, que não se deixa levar, mas com o tempo... Desabrocha-se. ^^ Bem legal e interessante!

Karla Hack disse...

SEnsual e intenso...
Conquistou-me!
;D

Postar um comentário

Leia, comente participe e não deixe de ser nosso asinante:
http://papeisonline.blogspot.com/p/assine.html