Have an account?

sábado, 17 de julho de 2010

O voo. - Fabíola Ortiz


O voo desse balão carece de sonoridade
 O voo desse balão marca a pausa entre o presente e a saudade
 O voo premeditado te leva a um lugar almejado
 Cabe a ti deixar que te leve, e que leve a dor de um desesperado

 A viagem do meu balão foge totalmente da realidade
 Ela te obriga a ser maduro e vulnerável a qualquer pedaço de felicidade.
 Grandes caminhos podem vir a cruzar
 Desde um pequeno jardim até o mais bonito mar.

 É aqui onde eu encontro a minha coragem
 Por onde passa o mais forte furacão
 Por onde passa a mais terrível tempestade
 E de companhia, só basta toda essa emoção

    Venha contra o vento
 Sussurre o teu maior tormento
 Sonhe com a sua liberdade
 Acredite em amor, não esqueça a amizade

 Eu sou passageiro do meu próprio balão
 Não assopre forte até que eu escreva essa canção
 Guarda o teu sopro pra uma vela bem barata
 Pra um desejo fútil ou pra eterna vida ingrata.


                                                                                                  Fabíola Ortiz
                                                              17 anos e um pouco de imaginação.
                                                                      www.fabiiortiz.blogspot.com

2 comentários:

Gian Le Fou disse...

Lindo! Me tocou na suavidade da vida.


Como faço para tentar ter um texto postado aqui?

www.gianlefou.blogspot.com

Grande abraço!

Karla Hack disse...

Gostei muito da analogia..
Uma espécie de ensinamentos para vida na leveza do balão e do vento...
Adorei!
;D

Postar um comentário

Leia, comente participe e não deixe de ser nosso asinante:
http://papeisonline.blogspot.com/p/assine.html