Have an account?

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Se tu Soubesse - Jeferson Guedes

Eu queria tanto um rumo
Ou queria me encontrar perdido
Novamente dentro da sua boca
Ah, se tu soubesses o quanto...
O quanto eu pensei em ti esses dias...
Ah, se tu soubesses...
Que eu queria viver apenas por ti...
Mas eu estou tão sem rumo...
E tão fraco por pensar em ti...
Não sei se foi da bebida...
Ou das formas que tive,
Pra acalmar minha carência
Aquela noite...
Mas me prendi tanto...
E não queria me soltar...
Queria que o tempo parasse,
Pra sempre eu queria ficar...
Entre teus braços...
Não queria que o sol nascesse...
Para me ferir os olhos...
E amanhecer com certo
Pensar que aquilo não poderia ter acontecido...
Que foi tão surreal aquele instante...
Que foi apenas por carência...
Isso tudo me confundiu tanto...
Isso tudo me tirou o sono...
E eu já não sei mais o que sinto...
Eu já não sei mais o que penso...
Mas, apesar de tudo...
Foi tão mágico...
Tão inesperado...
Tão não sóbrio...
Tão estranho...
Enfim o sol nasceu...
E machucou meus olhos...
Ficaram tão vermelhos...
E o sangue tão desbotado...
E cai na realidade novamente...
Com o meu corpo
Espatifado na parede do meu quarto...
Ah, se tu soubesses...
Ah, se eu tivesse mais coragem...
Nunca mais queria ter que olhar, tu
Chorando...
Com o rosto aguado...
Isso me deu tanta tristeza,
Isso me fez querer tu...
Mais do que sentir carência,
Querias tu...
Acima de qualquer poesia...
Acima do nascer ou até mesmo,
Do pôr do sol...
Acho que se eu tivesse a chance...
O sol não me machucaria tanto...
E os meus olhos...
Seriam voltados apenas a ti.
E a mais nada.

Jeferson Guedes
Escritor amador, quase um romântico, iludido, pessimista e boêmio de coração.

11 comentários:

Marcio Rufino disse...

Parabéns pelo belo poema. Parabéns ao blog e a todos os poetas selecionados. Abrçs!!!

Michelle disse...

Olá Jeferson!
Belo poema realmente!
Fiquei pensando em quantas vezes queríamos tanto um rumo ou simplesmente nos encontrarmos perdidos em algum lugar que em algum momento nos fez tanto bem...
Beijos!

marcyellegunner disse...

Realmente é um otimo poema, parabéns a ti Jeferson Guedes, excelente trabalho e poeta .

Projeto Cena Punk!!!! disse...

Parabens, um belo poema!
abraço

Talles Azigon disse...

é que a poesia do Jeff tem este Desespero, essa vontade de suicídio, é forte, não é poesia para criança ^^


por isso amo tanto esse Poeta com P maiúsculo

Tay disse...

Belo poema Jeferson... Parabéns. :)

rafael disse...

belo poema., gostei muito desse poema !!
parabens :)

Leandro disse...

Muito bom gostei
Parabens

aNá disse...

Belo,porém achei triste..assim como teus outros poemas.
Novamente falando do sol que te cega...nossa..este ficou muito bom ^^


beijo

Y. disse...

A coragem nos liberta, mas nem sempre é bem vinda. Porque diabos nos contemos tanto? Talvez porque depois de cair tantas vezes do céu ao inferno, ficamos anestesiados. Ou talvez sejam meras desculpas. O que nos faz bem é definitivamente o que mais nos apavora.E não abrimos a porta para felicidade antes de revistá-la, não é?
Gosto dos teus poemas, Jeff. Sinto uma imensurável empatia por ti através deles. Não és vazio, tuas preocupações são outras. Tu se esgotas em tuas linhas em desespero, arrependimento, desolação e sem todo aquele orgulho tolo - que por sinal, é um dos melhores poemas teus na minha opinião.^^~

Ricardo Fenerich disse...

Parabéns! Adorei o seu poema, e é por esses motivos que eu continuo escrevendo, saber que pessoas estão sentindo os mais avassaladores sentimentos, isso me inspira... Obrigado pelo comentário no meu poema. Parabéns aos selecionados!

http://papeisonline.blogspot.com/2010/07/poema-sem-fim-ricardo-fenerich.html

Postar um comentário

Leia, comente participe e não deixe de ser nosso asinante:
http://papeisonline.blogspot.com/p/assine.html