Have an account?

domingo, 20 de março de 2011

Tesouros não bóiam


À minha mãe

Eu sou do Intenso...
Do Amar e Sofrer com maiúculas,
Do som do silêncio,
e do canto eterno das chuvas.

Eu não sou do instante,
do que passa sem machucar,
da dor sem cicatriz,
ou da superfície do mar.

Eu sou o querer do profundo,
Meu barco não é de águas rasas...

Só há tesouros neste mundo
muito adentro das águas navegadas...

Pedro Bravo,
http://www.fotosdepalavras.info/

3 comentários:

M. disse...

Nada contra o instante.Seja ele intenso:)

Belos versos estes. Com belos sentir:)

Luis Garcia disse...

EM NOME DO PAI
Se eu pudesse compreender
a fórmula que investaste
dos dias que me ensinaste
como um mestre
desperta o aprendiz!
A mesma soma
traria eu
nos meus números e botões
como se faz para aprender
abecedários e tabuadas.
e demais mistérios que desconheço
como fazer, para entender…
E se eu de facto for capaz
então serei o mesmo pai
que tu és para o teu filho
e farei do meu próprio filho
o filho que fizeste de mim.

Liza Leal disse...

Adorei a leveza e força dos versos!
Adorei!

bjo

Postar um comentário

Leia, comente participe e não deixe de ser nosso asinante:
http://papeisonline.blogspot.com/p/assine.html