Have an account?

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Morada

ao Pd. Edson Maia



As janelas de casa
são todas quadros.

O horizonte
se apresenta sempre
como vertical.

Há perspectiva no meu querer,
mas no meu poder não há perspectiva

Toda a realidade
é um plano no estalar
dos meus olhos.

Explodem os meus desejos
na segurança da incerteza.

Eu só queria te encontrar
e dizer que eu sinto muito

sinto muito por não saber.

E depois, humildemente partir calado,
me pregando em qualquer quadro
na estranha janela de meu ser...

5 comentários:

Ghey disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ghey disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ghey disse...

Boa poesia.
O que me chamou bastente atenção e que achei mais legal foi o fim:
"E depois, humildemente partir calado,
me pregando em qualquer quadro
na estranha janela de meu ser..."
Mutas vezes na vida ficamos diante dessas situações onde temos que partir calados...

Mario Camara disse...

puts. show de bola.. me senti na aula do pd. edson. kkkk

Pedro Bravo de Souza disse...

Ghey e Mario muito obrigado pelos comentários!

Postar um comentário

Leia, comente participe e não deixe de ser nosso asinante:
http://papeisonline.blogspot.com/p/assine.html